O Treino Autógeno – nível superior

O Treino Autógeno - nível superior

O Treino Autógeno criado pelo neuropsiquiatra alemão J. H. Schultz (1932), é um dos métodos de relaxamento, de cariz médico, mais reconhecido a nivel mundial. O nível superior do Treino Autógeno, vai muito mais além do mero relaxamento, e promove o auto-conhecimento e desenvolvimento pessoal, que tem como objetivo, a resolução de problemas e a consecução de metas pessoais, através do poder da visualização.

Em que consiste o nível superior do Treino Autógeno de Schultz?

Muito resumidamente o Treino Autógeno de Schultz consiste em 3 fases. Na primeira fase (ver aqui), através da respiração consciente, o corpo é induzido a um estado de relaxamento e a uma agradável sensação de bem-estar geral. A segunda fase, o nível médio, pretende, através da auto-sugestão, combater problemas como a ansiedade, falta de concentração entre outros. A terceira fase, o nível superior (tratado aqui neste artigo), oferece as ferramentas necessárias para o auto-conhecimento, a evolução e transformação pessoal, a consecução de objetivos e a resolução de conflitos.

Sendo assim, o Treino Autógeno pode fazer muito mais pela pessoa do que simplesmente induzir a um a estado de relaxamento profundo do corpo. Depois do nível básico, o nivel superior pretende ir mais longe, guiando a pessoa no caminho para o auto-conhecimento e a realização pessoal, onde tem a possibilidade de conhecer-se e encontrar as suas próprias soluções para muitos dos problemas da sua vida cotidiana.

Depois de realizar os exercícios de relaxamento, aprendidos no nível 1, a pessoa, agora totalmente relaxada, é submetida a um estado de introspecção, que lhe permite “visualizar” imagens e situações no Aqui e Agora de modo a senti-las como verdadeiras. Com isto pretende-se, que a pessoa alcance o auto-conhecimento e o desenvolvimento pessoal, que lhe vão permitir encontrar soluções para os problemas, pelos quais atravessa.

O nível superior do Treino Autógeno de Schultz divide-se em 7 fases sucessivas

nível superior do Treino Autógeno de Schultz baseia-se na realização de exercícios relacionados com a experimentação de cores, imagens de objetos concretos e abstratos, formulações de objetivos, estados desejados. Os exercícios consistem em focar a mente através de fórmulas curtas e repetitivas, tentando imaginar, na medida do possível, o que elas sugerem e que servirão para conhecer-se, identificar, eliminar e corrigir o que está erradoEste nível divide-se em 7 fases sucessivas.

As formulações/frases características de cada fase, servem como modelo e podem ser alteradas segundo cada caso individual. As sessões de exercícios devem durar, pelo menos, vinte minutos. Este nivel, deve ser feito sob a orientação de um terapeuta/psicólogo, que analisará e interpretará cada caso.

As sete fases do nível superior do Treino Autógeno:

  1. Experimentação de uma cor
  2. Percepção de objetos concretos (como uma árvore que floresce)
  3. Contemplação de valores idealistas (por exemplo, amor, honestidade)
  4. Reeducação do carácter através de perguntas focadas em si próprio, tais como: “Quem sou eu?” e auto-sugestivas: “Estou cheio de confiança”
  5. Viagem ao fundo do mar
  6. Viagem até ao cimo de uma montanha
  7. Imagens individuais com objetivos pessoais

Fase 1: Experimentação de cores

É requisito fundamental, antes da prática do nivel superior do Treino de Schlutz, estar a pessoa relaxada, devendo aplicar as técnicas de relaxamento do nível básico. Em seguida, com os olhos fechados, o praticante deve “visualizar uma cor”. A seguinte fórmula, serve de ajuda para visualizar a cor:

  • “Uma cor começa a se desenvolver na minha mente.”

Esta fórmula deve ser repetida 6 vezes. Depois continua com a seguinte fórmula:

  • “É a minha cor.”

Nota: por vezes, pode ser necessário algumas semanas de prática, até uma determinada cor aparecer na mente de quem pratica. A cor que possa, eventualmente surgir na mente de cada um, é uma questão individual.

As seguintes frases servem também de ajuda para a experimentação de cores:

  • “A cor torna-se cada vez mais clara” e “A cor é clara diante dos meus olhos.”

Este exercício de visualização de uma cor deve durar 4 minutos.

Fim do exercício: para terminar e voltar à realidade deve-se utilizar as seguintes frases:

  • “A cor vai embora” e “A cor desaparece”.

E depois, esticar os braços com força, respirar fundo, abrir os olhos.

Nota: se o treino for feito com mais intensidade, a pessoa pode começar a “ver” mais cores na sua visão interior, por exemplo:

  • “O meu vermelho transforma-se, pouco a pouco, em azul.”

Quem consegue realizar este exercício com certa facilidade, alternando cores, está bem preparado para passar à segunda fase do nível superior do Treino Autogénico.

Fase 2: Percepção de objetos concretos

Esta fase, é considerada uma das mais avançadas dentro da prática da meditação. Neste exercício, vive-se situações imaginárias, como por exemplo, ver através da mente “o florescer de uma árvore”, como algo real/verdadeiro. As seguintes frases auto-sugestivas servem de auxilio:

  • “Na minha mente floresce uma árvore”.
  • “A imagem é mais clara”.
  • “A árvore florida surge claramente diante de mim. “

Nota: este exercício de percepção de objetos deve durar 4 minutos.

Fim do exercício:

  • “A imagem vai embora” e a “A imagem desaparece”.

Esticar os braços com força, respirar fundo, abrir os olhos.

Nota: se ao praticar este exercício, a pessoa foi bem sucedida e experimentou o objeto imaginado como algo verdadeiro, pode neste caso exercitar ainda mais a mente e alternar entre objetos, por exemplo:

  • “A minha árvore florida transforma-se num pinheiro coberto de neve.”

Depois de ganhar prática na execução deste exercício, a pessoa pode experimentar outros exercícios, nos quais pode aprender a visualizar com claridade o rosto de pessoas.

Fase 3: Contemplação de valores idealistas

Nesta fase o praticante deve aprender a “ver” valores idealistas como o amor, felicidade, confiança, harmonia. Para cada valor não material, há uma imagem que deve aparecer durante a meditação. Para tal, serão utilizadas as seguintes frases ou fórmulas, que servem de apoio:

  • “Na minha mente surge uma imagem: eu vejo e sinto honestidade.”
  • “Eu sinto e vejo amor diante dos meus olhos”

Nota: imagens negativas geralmente indicam questões/problemas por resolver.

Fim do exercício:

  • “A imagem vai embora” e a “A imagem desapareceu”.

Esticar os braços, respirar fundo, abrir os olhos.

Fase 4: Reeducação do carácter

A quarta fase consiste num exercício de auto-conhecimento. Aqui realiza-se perguntas, tais como “quem sou eu”, “o que é que eu sou”, cujo objetivo é levar a pessoa a conhecer-se melhor. Com a ajuda das frases/formulas, a pessoa pode alterar situações pessoais desejadas, como mudanças na dieta. Isto permite, por exemplo, que certos hábitos alimentares errados, possam ser eliminados ou modificados através de fórmulas como:

  • “Na minha mente forma-se um espelho. Estou em frente ao espelho e vejo-me tal como eu sou de verdade.”
  • “Uma alimentação saudável é muito importante para mim.”

Nota: neste exercício, o foco incide sobre o objetivo do auto-conhecimento.

Também é possível que, fazendo uso da auto-sugestão, a pessoa mude a sua imagem refletida no espelho, segundo o seu desejo pessoal: como por exemplo, como se imaginaria actuando em situações difíceis, ou se se vê a si própria numa posição ou figura desejada.

Fim do exercício:

  • “A imagem vai embora” e “A imagem desapareceu”.

Acabar o exercício sempre desta maneira: esticar os braços com força, respirar fundo, olhos abertos.

Fase 5: Andar no fundo do mar

Esta fase consiste na visualização de imagens, nomeadamente viagens a diversos lugares. A fórmula a usar é a seguinte:

  • “No minha mente uma imagem se desenvolve. Vejo-me na praia. Estou muito calmo e relaxado. Caminho passo a passo, cada vez mais longe, adentrando-me na profundidade do mar”.

A pessoa dá um passeio no fundo do mar por alguns minutos.

Nota: deve ser desenvolvida uma imagem clara. No caso de a pessoa ter medo de caminhar dentro da água deve proteger-se com uma “varinha mágica”, que lhe permite formar uma zona de segurança à sua volta.

Fim do exercício:

  • “Eu abandono a minha imagem e regresso pouco a pouco ao litoral”.

Esticar os braços com vigor, respirar fundo, abrir os olhos.

Fase 6: Subir ao alto de uma montanha

Esta fase consiste também, tal como a anterior, na visualização de imagens.

Fórmula:

  • “Na minha mente uma imagem se desenvolve. Vejo diante de mim uma alta montanha. Subo-a quieto e calmo, e passo a passo, chego cada vez mais alto até ao cimo da montanha.”

Nota:

Durante a subida pode produzir-se sentimentos eufóricos, fazendo com que a pessoa se sinta leve, livre e segura de si mesmo, podendo (na sua fantasia) sentir-se como um pássaro que abre as asas e empreende o vôo. Ficar alguns minutos no topo da montanha.

Fim do exercício

  • “Eu abandono pouco a pouco a minha imagem e regresso à base da montanha”.

Braços esticados, respirar fundo, olhos abertos.

Fase 7: Imagens individuais com objetivos pessoais

Neste exercício avançado da fase 7 forma-se imagens segundo as ideias e desejos de cada pessoa. Trata-se de levar a cabo a formulação de objetivos e a visão de si mesmo perante essa nova situação.

Nota: se surge na sua mente imagens desagradáveis, finalize o exercício imediatamente com a fórmula habitual.

Fim do exercício:

  • “A imagem vai embora” e “A imagem desapareceu”.

Estique os braços com força, respire fundo, e abra os olhos”.

Após cada fase, é importante acabar o exercício desta maneira: esticar os braços e abrir os olhos, porque, caso contrário, a pessoa que pratica o exercício, permaneceria num estado de sonolência.

Quem pode praticar o Treino Autógeno de Schultz

O treino autógeno é adequado para crianças, adolescentes e adultos e pessoas com idade avançada. Esta técnica de relaxamento serve, não só para relaxar (conseguido no nivel básico), o que já por si só, é suficiente para lidar melhor com as circunstâncias do dia a dia, mas no nivel mais avançado, ajuda a superar medos, agressividade, depressão, ansiedade, falta de auto-controlo, baixa auto-estima, problemas de concentração, gestão do stresse e doenças físicas, como problemas digestivos, síndrome do intestino irritável, úlcera gástrica, dor abdominal, cólicas menstruais, diabetes, distúrbios hormonais, problemas concernente à menopausa e muito mais.

A ter em conta

Contudo, o nível superior do Treino Autógeno não deve ser aplicado em pessoas com certas doenças tais como epilepsia, doença cardíaca e doenças mentais, sem antes ter o consentimento do seu médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *